Maniçoba Podcast

Informações:

Sinopsis

Um disco na vitrola e algumas cervejas por programa. Três amigos contam as histórias por trás da música brasileira.

Episodios

  • #13 - Nelson Cavaquinho - Nelson Cavaquinho (1973)

    21/01/2013 Duración: 38min

    Lado A Primeiro programa de 2013. Reveillon. Ouvintes Catarina, Amaral e Valdir e Sr. Vadinho. Paulo Henrique: garçom e fotógrafo.  Samba: pai do prazer, filho da dor. Versão de Juízo Final por Mombojó. A barriguda Caracu. Mitos da cerveja preta. Nelson Cavaquinho e a Mangueira. Sambas perdidos em botecos e outros inferninhos. Admirado por músicas populares e eruditos como Turíbio Santos. Eternizado no violão. Primeiro cavaquinho feito em caixa de charuto. Gávea, bairro dos chorões. Primeiros discos de Cartola e Nelson Cavaquinho. Zicartola. Venda de parcerias. Vozes estranhas da MPB. Chico Lopes. A fragilidade da voz. Lado B Luto e Melancolia na Música Popular Brasileira. O Evangelho Segundo Nelson Cavaquinho. Guilherme de Brito. Primeira chamada a partir de um telefone celular. Poeta Mário Jorge Vieira. Paixão de Cristo no Bairro América. Criação da Região Metropolitana de Curitiba. Angélica, Eliana, Narciso, Bruce Lee, Pixinguinha e Tolkien. Cabaré dos Bandidos. Lígia. Técnica da galinha. Ciro Monteir

  • #12 - Elis Regina - Ela (1971)

    12/12/2012 Duración: 41min

    Lado A Tudo “Fe-ELIS”. Voz de Ataulfo Alves do Lucas Borges. Natal sem Simone e com Elis Regina. Simone defendida por Elis. Figura energética e variável: Furacão Elis. Apelido “Pimentinha” dado por Vinicius de Moraes. “Eliscóptero”. Relação com Rita Lee: da inimizade ao nome da própria filha em homenagem. Passeata contra a guitarra elétrica. Versões definitivas e não-definitivas de grandes canções da MPB e sua relatividade na arte: Elis e sua força. Lucas e sua grande técnica vocal. Primeiro disco aos 15 anos - “Viva a brotolândia”. Estilo Rock produzido pelo Carlos Imperial. Nova Celly Campello? Elis possuía ciclotimia? Desfila por vários estilos com facilidade. Milton Nascimento no primeiro encontro: a musa no início deu um grande fora. Versão dos Beatles. Engasgos e o charme do programa. Elis foi um desengasgo e um contra-estereótipo do pop-star no início. O beco das garrafas e sua importância para a MPB: chegada de Elis no Rio de Janeiro. Encontro com Ronaldo Bôscoli: famoso compositor e pegador da b

  • #11 - Jards Macalé - Jards Macalé (1972)

    12/11/2012 Duración: 44min

    Lado A Farinha do Desprezo. Macunaímico. Turma da Tijuca e a Turma dos Baianos. Formação musical erudita. Jards Macalé e a Tropicália. Orquestra Tabajara. Hospedou Maria Bethânia. Penetrável do Hélio Oiticica. Tuti Moreno e Lanny Gordin.  Gotham City no FIC 1969. Parceria com Wally Salomão. Quatro Crioulos: Zé Keti, Jair do Cavaquinho, Elton Medeiros e Paulinho da Viola. Jards, Gil e Caetano no Festival de Glastonbury. Legal Gosta. Gal a Todo o Vapor. Interações com outros músicos. Linha da Morbeza Romântica. Capinam e Torquato Neto no mesmo disco. Não preciso de gente que me oriente. Lado B Os Malditos. Scorpions e Van Halen. Odyssey 100. Primeiro videogame do velho Nivas. Billie Joe Armstrong, Cameron Diaz e Rodolfo Abrantes. Último legítimo ninja. Geraldo Vandré e o movimento dos barcos. Moreira da Silva e o samba de breque. Documentário e reedição do disco. Encomenda do Naná Vasconcelos ao Torquato Neto. Let’s Play That em 1983 e 1994. Poema de Sete Faces. Canal no Youtube. Descoberta do Luiz Melodia

  • #10 - Roberto Carlos - O Inimitável (1968)

    07/10/2012 Duración: 42min

    O disco soul e funk americano do rei Roberto Carlos, O Inimitável (CBS, 1968), é explorado pelo décimo episódio do Maniçoba Podcast. Este programa foi dedicado às mães e contou com a participação da mãe de um dos apresentadores. Lado A Décimo. Gravação pela manhã? A idéia do Velho Nivas. Rei, inimitável e alienígena. As viradas na carreira do Roberto. Bossa Nova, Rock e Romântico. Beatles e Roberto Carlos. Os Sputniks e a turma da Tijuca. Volta de Tim Maia ao Brasil. A veia romântica. A origem do nome MPB. Jovem guarda X música tradicional brasileira. Versões de músicas do Roberto Carlos. O programa O Fino da Bossa e o programa Jovem Guarda. Popularização da guitarra elétrica e do rock. Zimbo Trio. O ícone de todas as mães. Participação de Dona Telma. O início da TV em Sergipe. Fãs e fã clubes. Parceria com Erasmo Carlos. Segundo maior vendedor de cópias. Tonico e Tinoco. O rótulo Iê Iê Iê e o Hard Day’s Night. O título de rei. Lado B Memórias de 1968 do Velho Nivas. Início da Tropicália. Atentado a Andy Warh

  • #9 - Toquinho e Vinícius - São Demais Os Perigos Desta Vida (1972)

    03/09/2012 Duración: 33min

    Lado A Oitavo ou novo Maniçoba Podcast. Carreiras separadas dos dois grandes ícones. Incompatibilidade de agendas. O poeta e o violão. Um dos últimos grandes revolucionários. A história do Vinícius é a própria poesia dele. Última parceria de Vinícius. Influência afro. A história dos casamentos. Nove ou onze? Gesse Gessy. Mãe Menininha do Gantois curou o seu medo de avião. Gretchen e Fábio Jr. Largava tudo menos o quadro de Di Cavalcanti e a escova de dentes. Casou com os pulsos cortados. Formação erudita. Saiu da metafísica para a física. Trabalho no Itamaraty. Estética da bossa nova. O ouvinte Toquinho. Antônio Pecci Filho. Amigo do Chico Buarque. O Toquinho veio trazer estabilidade para o Vinícius. Lua Cheia. Telegrama para Toquinho. Orfeu da Conceição. O início da bossa nova. Pixinguinha. Lado B Arca de Noé. Disfagia e disfonia. Memórias de Xivas. Conferência de Estocolmo. Membros do Led Zeppelin foram proibidos de entrar em Singapura. Godfather e Garganta Profunda. Edinho Highlander. Dalva de Oliveira. As

  • #8 - Gal Costa - Gal (1969)

    24/07/2012 Duración: 36min

    Lado A Presença do catedrático Lucas Borges, a voz da vinheta do programa? Capa psicodélica. Furiosa e Aloprada. All star band da Tropicália. Malucos genias: Lanny Gordin, Jards Macalé e Rogério Duprat. Grupo dos baianos. Baixa do Sapateiro em Salvador. Papel da Gal durante o exílio de Caetano e Gil. Tuaregs, os semi-nômades do Saara. Sequestro do filme “O que é isso, companheiro?”. Trilha do filme “Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa”. Tempero Coentrino. Cheiro da cozinha de Dona Telma. Freud e O Mal-Estar na Civilização. Como um dia de domingo. Momento único na MPB. As versões e regravações de País Tropical. Jorge Ben e a Tropicália. Maria da Graça Costa Penna Burgos. Criação de dona Mariah com música erudita. Adolescência de Nivaldo ouvindo Chopin na balaustrada. Roni discos, em Salvador. O trato entre Dedé e Gal. Influência do João Gilberto. Duprat, Stockhausen e Frank Zappa. Lado B Grupo do teatro Vila Velha. Influência de Dorival Caymmi. João Gilberto de saias. Declaração de Tom Zé. O exemplo do Vel

  • #7 - Secos & Molhados - Secos & Molhados (1973)

    11/07/2012 Duración: 32min

    Lado A Participação do inoxidável Dráuzio Almeida. Remasterização do Charles Gavin. Mais seco ou mais molhado? O Secos & Molhados criaram o Glam Rock? Origem da transexualidade no rock. Alice Cooper, David Bowie, Mick Jagger. A fantasia não é a maior característica. Meteoro. Críticas de Chacrinha ao Secos & Molhados. Chacretes e Ney Matogrosso. Passagem do desbunde para o bicho-grilo. Poética de liberdade, que ninguém tinha no momento da ditadura. A crítica não entendia. O grito que todos queriam dar, mas não conseguiam. João Apolinário e João Ricardo. Impregnada da cultura portuguesa. Poesia de Manoel Bandeira, Vinícius de Morais e Cassiano Ricardo. Ao mesmo tempo semente e tesoura. A criação do nome em Ubatuba. O grito do Ney. Uma banda de rock? Música latina. Lado B A música mais popular do disco, o hino do Glam. Alimentação correta, atividade física diária e vida amorosa adequada. Cadeira de rodas e fraldas geriátricas. Fim da Guerra do Vietnã. Golpe militar no Chile. Primeiro show transmitido via

  • #6 - Chico Buarque - Chico Buarque Vol. 3 (1968)

    17/06/2012 Duración: 37min

    Lado A “O Piá dos olhos verdes (ou azuis?)”.  Fase transitória do Chico entre a tradição e a fase “espinhosa”. Chico e as temáticas carnavalescas.  A profundidade enxergada no cotidiano: o papel do poeta. Parceria com Tom Jobim- o início. “Tamanco” e retrato em preto e branco. Chico e a transmutação da MPB. Januária- presente do Di Cavalcanti. Amendoins confundindo disco com quadro. Músicas sobre a Feminilidade. O inicio da carreira: convivência familiar e com expoentes da MPB; Chico-o poliglota; faculdade de arquitetura. Bossa Nova marcando mais que os Beatles. Parceria com Toquinho. Carolina, a canção improvisada. Polêmicas com Caetano Veloso. Estilo do Chico dificultou a ascensão da Tropicália. Roda Viva: patrimônio nacional. Mobilização da nação. As luzes de 1967. O artista enquanto vítima da máquina roda viva. O Ato Institucional número 5 (AI-5). Os atores de Roda Viva espancados pelo CCC- Comando de Caça aos Comunistas. Lado B Velho Nivas e o início de sua terceira idade em plena ditadura. 200

  • #5 - Jorge Ben - Solta o Pavão (1975)

    27/05/2012 Duración: 40min

    Lado A Pavão real, pavão dourado. Contra-caspa. Discos místicos do Jorge Ben: Tábua de Esmeralda, Solta o Pavão e África Brasil. Mística associada ao realismo do Jorge Ben. Coisas simples misturadas às profundas. Osmar Milito. Músicas sobre futebol. Zagueiro Rondinelli do Flamengo. Fez parte do juvenil do Flamengo. Alquimista Santo Tomás de Aquino. Foi seminarista por dois anos no Rio de Janeiro. Participava de corais e órgão. Fase racional do Tim Maia e fase magia negra do Raul Seixas. Orações nos discos do Jorge Ben. Solta o Pavão tem sobras do Tábua de Esmeralda. Solta o Pavão é um disco de transição. Um dos grandes violonistas do Brasil. Qual a idade de Jorge Ben? 67 ou 70. Gravou o primeiro disco aos 18 anos? Velho Nivas, acessor jurídico. As musas do Jorge Ben. Mágico de Oz. Aparecida, Jesualda, Bebete, Berenice, Katarina, etc. Contraste com a Bossa Nova. Jorge Ben caretão: católico, não bebe. Cuidado com o Bulldog. Comparado ao Sgt. Pepper’s. Força psicodélica. Fio Maravilha tentou processar Jorge Ben.

  • #4 - Raul Seixas - Novo Aeon (1975)

    06/05/2012 Duración: 35min

    Lado A Anti-sepsia. Mistura viva importante de tudo que há de bom na música brasileira. Catedrático Sr. Lucas Borges. Documentário recente sobre o Raulzito. Figura pitoresca, maluco beleza versus profundidade da obra. O Lennon brasileiro. Raulseixistas. Crítica à estrutura religiosa. Virada do Raulzito do Raul Seixas. Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10. Paulo Coelho e o envolvimento com o satanismo. “Tente Outra Vez” salvando um suicida. Krig-ha Bandolo entre os mais importantes discos da música brasileira. Introdutor da música americana com estilo brasileiro? Raul queria ser escritor. Filho de engenheiro, ávido por leitura. Não foi um estudante com bons resultados escolares. Relâmpagos do Rock e Raulzito e os Panteras. Tocou com Jerry Adriani e Roberto Carlos. Trabalho como produtor na CBS. Ida ao Rio de Janeiro. Lançamento de Sérgio Sampaio e o FIC 1972. “Let Me Sing” acabou com uma discussão sobre música nacional x música brasileira, com a união do rock ao baião. Campanha contra a gu

  • #3 - Cartola - Cartola (1976)

    15/04/2012 Duración: 36min

    Lado A Agenor ou Angenor de Oliveira. Descobriu o nome no período do casamento com a Zica. Lenda que Mundo é um Moinho foi composta para a filha que era prostituta. Cartola era estéril. Versões do Cazuza e Ney Matogrosso. Gravou o primeiro disco em 1974, com 66 anos. Foi morar no morro da Mangueira por problemas financeiros. Lampejos de música erudita com base popular. Perdeu a mãe na década de 30 e brigou com o pai. Mario Reis subiu o morro atrás de um samba. Cartola vendia o samba, mas não a autoria. Divina Dama, gravada por Francisco Alves. Torcedor do Fluminense. Histórias dolorosas com mulheres. Deolinda. Histórias curiosas com Noel Rosa. Sumiços de Cartola. Foi encontrado trabalhando como lavador de carro por Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto) ou pelo cartunista Lan. Trabalho servindo cafezinho. Gravação do primeiro disco pelo Pelão (João Carlos Bozelli). Rota dos bares. Parceria com o Candeia. Arranjos de Preciso me Encontrar com Oboé. Peculiaridades no aspecto físico de Cartola. Chapeu coco. Trabalh

  • #2 - Tim Maia - Tim Maia (1970)

    25/03/2012 Duración: 31min

    Lado A Convidado Anderson Lee, japonês com sangue negro. Destino inexorável do Tião Marmiteiro. Quem é Cristina? Alma negra do Tim Maia. Funk com baião, soul e rock. Os trilhos da música popular brasileira. Ida aos Estados Unidos e a formação do The Ideals. Triatleta: fumava, bebia e cheirava. Programa de TV do Roberto Carlos. Vulgo Tião Maconha. Visual da jovem guarda. Beatles inflamando os ares mundiais. Tim escondeu na garagem do prédio de Roberto. Não vou Ficar foi a guinada na carreira do Roberto. Uma pausa e um brinde. Roberto deixou de ser o bom menino. Elis Regina, porta voz de muitos músicos do Brasil. Waltel Branco participou das cordas do disco. A característica principal do Tim Maia é o excesso. Lado B O Universo em Desencanto. Muitas pessoas ainda seguem a Cultura Racional. A volta de Tim Maia. Viveu fazendo as coisas que queria sem pensar nas consequências. Ele vem ou não vem? Primavera: uma das maiores despertadoras de beijos. Tim tinha desejo de ser um homem de família. Drogas e obesidade. Gli

  • #1 - Belchior - Alucinação (1976)

    04/03/2012 Duración: 37min

    Belchior foi o escolhido para ser assunto do primeiro episódio do Maniçoba Podcast. Ao som de Alucinação (Phonogram, 1976) e suas histórias, explicamos como surgiu a ideia do podcast. Lado A Primeiro Maniçoba Podcast. Apresentação do formato do programa. Doses de Nega Fulô e copos de cerveja. Maniçoba, uma feijoada indígena. Bigodes. Ditadura militar no Brasil. Referências à cultura pop, Bob Dylan, Caetano Veloso, Beatles, Edgar Allan Poe, etc. Raul Seixas em resposta ao Belchior na música “Eu Também vou Reclamar”.  Elis Regina fez o bigode explodir. Bel com ou sem barba. Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes. Cerveja com rolha. Cantador de feira e cursos de filosofia e Medicina. IV Festival Universitário da MPB. Clássico em homenagem ao popular. Lado B Na alucinação, chegamos a algo que não existe. O idealismo que ficou para trás. Ednardo, Fagner, Caetano, Gil, João Gilberto, Xangai, Novos Baianos e o Movimento Armorial. Teti e Cirino? Redescoberta de artistas que só lançaram discos em LP.

página 2 de 2